sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

E então eu pensei: se a Pipoca Mais Doce consegue, eu também consigo.

E fui buscar a escova, o secador e o babyliss, determinada que estava a, também eu, conseguir fazer aqueles jeitos rebeldes nos meus longos e lisos cabelos.

Resultado: estou aqui com uns canudinhos ridículos, à dama-antiga, daqueles canudos elásticos que saltitam para cima e para baixo a cada passo que dou.


(o que vale é que é Carnaval)



quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Peço desculpa pela falta de comparência

Mas desde que lancei a minha mais recente iniciativa, a Caixa-Surpresa, que estou aqui completamente assoberbada de trabalho, o número de encomendas foi de tal ordem que nem sei para onde me virar, tenho a banheira cheia de lulas prontas a empacotar, ovelhas por todo o lado, os respectivos pastores aqui sentados ao meu lado, no sofá, mal cabemos todos, e depois, o pior de tudo... nem imaginam o caos informático causado pelas transferências bancárias que vocês me fizeram... o banco on-line crashou, fui chamada de urgência ao Banco de Portugal para explicar a situação, e eu bem disse: "oh, Carlos, tázaver, as Caixas-Surpresa são um produto estruturado muito ambicionado pelo  público, um produto que alia o campo e a estrada, o animal e o vegetal, a lã virgem e o material sintético, é um produto-refúgio, de capital seguro, que à partida não comportava riscos, e eu bem sei que este era um produto extremamente criativo e complexo... mas 'tá claro que a pessoa não conseguia antecipar as consequências para o sistema de Caixas-Surpresa em geral...", mas o Carlos estava fora de si, nunca o tinha visto tão exaltado, deu um murro na mesa, ameaçou resolver-me o blog e dividi-lo em blog-bom e blog-mau. E agora, para a corrida às Caixas não se agravar, suspenderam-me a negociação na Blogosfera e estou para aqui de cabelos em pé, a aguardar a decisão final. 

errrrrr... agora tenho de ir, que estou a receber esse eme esses do Mário Centeno, a dizer para ir para o Ministério das Finanças ASAP! Parece que depois do investimento massivo nas minhas Caixas-Surpresa, a economia do país se está a desmoronar.


terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Estava aqui sem nada para fazer e, de repente, senti necessidade de, também eu, me lançar no universo das Caixas-Surpresa!

Assim sendo, convido-vos a comprar este incrível cabaz pela módica quantia de setecentos euros! E sejam rápidas, que só temos cerca de cinco mil unidades disponíveis!


Só numa de vos tentar, informo que temos nesta Caixa-Surpresa:

Uma Lula!


Dois fatos de apicultor para um matchy-matchy de casal!


Uma embraiagem!



um rebanho de ovelhas amoroooooooso com mais de trezentas cabeças!


E o seu próprio pastor!



e, claro, uma pastilha Gorila!




E então? Quem é amiga, quem é?





Depois de mais de seis meses de obra

E não, não vamos falar da lentidão da coisa, que já devíamos ir na estrutura e ainda não saímos da escavação, mas como ia dizendo, seis meses depois do início da obra, ainda não consegui combater o preconceito e continuo a ser brindada com o mesmo olhar de desconfiança do primeiro dia. E agora digam-me!, mas digam-me mesmo!, se o senhor não está ali à espreita a dizer:

"Olha-m'esta, outra vez aqui... vade retro!..." e depois a pensar para os seus botões "deixa-me masé ficar aqui bem escondidinho atrás deste torrão de terra, a ver se ela não dá por mim..."



segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Só para que não tenham ideias e percebam como o meu Senhor Carlos é realmente incrível, o mais espectacular de todos

Hoje, mal entrei, disse-me, com ar preocupado acompanhado de uma ruga na testa, as seguintes palavras mágicas: 

"Está mais magrinha!"

E eu ainda lhe disse que aquilo era marketing, que apostava que agora era assim que atraía a clientela, mas ele, com um sorriso maroto, garantiu-me que não, que era mesmo verdade.

(post para estas meninas -aqui e aqui)

Eu não tenho uma Dona Aureliana

Mas tenho o Senhor Carlos. O senhor Carlos dá-me almoço quase todos os dias da semana, a mim e a mais uns quantos, que aquilo no restaurante do Senhor Carlos é uma roda-viva. Não sei bem como, mas o Senhor Carlos consegue-nos sempre uma mesa, nem que para isso tenha de subir o volume do rádio e desligar o ar-condicionado, e é ver os clientes a debandar sem perceberem bem porquê e o senhor Carlos a piscar-nos o olho, mas uma mesinha para nós é que não pode faltar, sendo que é preciso ver que o espaço está milimetricamente aproveitado e para uns se sentarem, os outros têm de se levantar, como naqueles joguinhos que havia antigamente, que funcionavam dentro de um quadrado e tinha de se pôr as peças por ordem e só havia uma casa livre; o Senhor Carlos não tendo o sotaque arrastado de quem atravessou o equador, e porque passou muitos anos a trabalhar nos hotéis em França, fala fluentemente cinco línguas, ele é italiano, castelhano, francês, inglês e alemão, mas fala mesmo, não julguem que o senhor Carlos se limita a arranhar, de tal forma que ali as amizades se fazem à velocidade da luz e os estrangeiros voltam ano após ano. E é uma festa cada vez que voltam, há beijos e abraços como num reencontro de família. Às vezes toda a gente canta porque o Senhor Carlos dá o mote e muitas vezes toda a gente ri, sobretudo quando o Senhor Carlos quer porque quer aparecer nas selfies com o peixe grelhado . No Senhor Carlos também não precisamos de nos preocupar com isso do dinheiro, que se não o tivermos na carteira pagamos no dia seguinte, ou se ele não tiver troco fica logo pago para amanhã. Nos dias de pernil o Senhor Carlos prepara-nos um peixinho cozido, nos dias de feijoada um bacalhau com grão e nos dias em que não nos apetece nada o senhor Carlos dá-nos o almoço do pessoal, aquela massa grossa com frango. Também aconteceu que um dia em que não tinha companhia, que eu sem companhia não gosto de almoçar, o Senhor Carlos, ao ver-me passar para ir à farmácia assomou à porta para saber de mim, que parecia impossível não me alimentar como deve ser, e, quando voltei, lá estava ele no passeio, com um sorriso e um pratinho tapado com um guardanapo, lá dentro um prego para eu levar para o escritório, que não me queria a passar fome. Por isso é que, não sei se já disse que, não tendo uma Dona Aureliana, posso afirmar com orgulho que tenho um Senhor Carlos. E quem tem um Senhor Carlos tem tudo.

E agora tenho de ir almoçar, que já são horas, e o Senhor Carlos está à minha espera :)

domingo, 31 de janeiro de 2016

E então essa madrugada, Palmier?

Do mais agradável que tenho memória! O sol a nascer, os passarinhos a acordar estremunhado nos seus ninhos, as panquecas crepitantes e as torradinhas, ah as torradinhas...



sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

É que fomos mesmo obrigadas a tomar atitudes!

Derivado desta situação, um post que teve o claro intuito de criar a dúvida, de baralhar o leitor e de lançar no historiador que, um dia mais tarde, relatará os feitos épicos que ficarão registados nossa blogo-história, a suspeita que o regresso de Xilre não se deveu à acção concertada das Valquírias das Estepes Blogosféricas mas sim (e atentem na ignomínia!) à perdiz de caça e às palavras glicodoces de Pipoco Mais Salgado, um post que, não tenhamos ilusões, teve o claro objectivo eclipsar da blogo-história os actos heróicos praticados no feminino, os actos daquelas que, sem medo, ocuparam a linha da frente do campo de batalha, arriscando assim a vida na captura do fugitivo mais procurado da blogosfera, enquanto outros, e vamos sublinhar aqui este "outros", se limitaram a rever em alta o número extra de e-mails enlevados que receberiam na sua caixa de correio electrónico no caso de desaparecimento efectivo do blog de um dos seus concorrentes directos. Foi por isso com a vontade de repor a verdade dos factos que, esta madrugada, numa acção concertada e minuciosa liderada por pequena Cutxi, levámos a cabo uma operação com objectivos cirúrgicos, perpetrada pelos elementos das forças especiais das Valquírias, e apoderámo-nos do Lamborghini roxo (que, como é evidente, pintámos de cor-de-rosa), porque toda a gente sabe que um homem sem o seu carro é exactamente a mesma coisa que Sansão sem o seu cabelo!

Vejam bem a beleza do Lamborghini! Porque a vingança se serve fria! Gelada, mesmo!




quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Oh vocês, que sabem tudo!

Derivado daquela situação de eu ser uma criatura que maltrata livros, sobretudo os volumosos, super-irritantes, que não abrem como deve ser, e que, para quem, como eu, gosta de ler deitada de barriga para baixo, se tornam num suplício, que ou a pessoa está permanentemente a segurar as páginas ou então elas ganham vida própria e mal uma pessoa se distrai, lá estão elas, a bailar de um lado para o outro, uma pessoa resolve aplicar-lhe aquele golpe certeiro, mas excede-se na força e em vez de um suave gancho, aplica-lhes um upercut de tal forma violento que... glup... lhes parte a lombada, pergunto: Onde é que se encadernam livros...?



quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

We nailed it!


(pode ser só uma visitinha de vez em quando, mas que nós estamos aqui à espera... ai isso estamos! :)



Comunicação da Camarada Palmier Encoberto, Presidente do Sindicato dos Bloggers

Porque nós até lhe podemos dar mais dois ou três dias de férias por ano, podemos repor os feriados e criar mais uns quantos, podemos permitir-lhe umas pontes alargadas, dar-lhe isenção de horário de trabalho e, como forma de demonstrar a nossa boa vontade nas negociações, concordar, por exemplo, com aquela bizarria dos posts que se auto-destroem, agora, o que não podemos, mas não podemos mesmo!, é aceitar a paralisação total de um blog e consequente recusa de fornecer posts, deixando-nos assim ao abandono à porta do blog, verdadeiras vítimas de um lockout! Por isso, camaradas, se querem o Xilre de volta, levem o vosso cartaz e juntem-se à luta! Temos de fazer valer os nossos direitos!


terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Pensei que fosse importante dar-vos a conhecer mais uma das minhas inúmeras valências

Para que soubessem que, num departamento anexo à Agência de Blogs, tenho uma sala muito confortável onde funciona o Gabinete de Crise, do qual se poderão socorrer em caso de se depararem com alguma blogo-dificuldade e onde me encontro em permanência, vinte e quatro sobre vinte e quatro horas, pronta a aplicar os meus vastos conhecimentos de resolução de conflitos em prol da vossa felicidade, seja numa simples situação de furto de um comentário, seja para a mediação com os leitores na eventualidade de produzirem um post publicitário inaceitável, ou até mesmo para casos realmente graves de incompatibilização entre bloggers.




sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Agenciados, estão aí?

Quero um post sobre os benefícios da ingestão deste produto, uma coisa que credibilize a marca e que leve os nossos cordeirinhos de Deus a acorrer às lojas em massa. O storyline deve incluir  alegres pequenos-almoços em família, crianças besuntadas, lanchinhos para a escola, enfim, todo o imaginário de uma família feliz e saudável, proporcionando nos dias de hoje o sabor de antigamente, tudo isto levado a cabo pelas mãos de uma extremosa mulher, mãe e dona de casa e fazendo-os crer que este produto é a coisa mais incrível e espectacular que o vosso palato algum dia experimentou. Vá, rápido!


Não julgavam que isto era só vantagens, certo? 

(O quê, não leram as letras pequeninas do contrato?! Olha... tivessem lido! vá, vite, vite, toca a escrever o post, caso contrário peço a indemnização!)




quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Porque também nós queremos ser livres!

Tendo em conta a injustiça da actual blogo-situação, entendi que estava na hora de tomar uma atitude e de dar um passo em frente! Vai daí, criei a minha própria Agência de Blogs, uma agência constituída com o intuito de albergar todos os bloggers que continuam desprotegidos, sem apoio e presos a antiquadas convenções de ética, por forma a garantir a liberdade de fazer posts com estranhos conteúdos, sem que por eles possamos ser responsabilizados, remetendo de forma simples e expedita toda e qualquer responsabilidade para a Agência de Comunicação (de acordo com o artigo 24º do Código-Blogo-Penal, o blogger que o fizer é automaticamente considerado inimputável em razão de Link para a Agência.)

Para serem meus agenciados basta que o refiram na caixa de comentários abaixo, ficando imediatamente livres para dizer e escrever tudo o que vos passar pela cabeça, sem filtro, desde que cumpram uma única regra: No fim do post, deverão fazer a seguinte referência "Post escrito em parceria com a Agência de Comunicação", linkando este blog. E pronto, agora força, é deitar mãos à obra e desatar a escrever sem quaisquer constrangimentos! Juntem-se a mim e digam não à discriminação! 


(Em troca, os agenciados terão de estar disponíveis para, assim que solicitado, produzirem posts com as características indicadas pela Agência, sob pena de, não o fazendo, serem obrigados a pagar avultadas quantias a título de indemnização)



quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Palmier apresenta-vos um incrível DIY!

Se caírem no grave erro de comprar um ecrã de computador com uma moldura brilhante, uma daquelas que reflecte toda a luz que apanha, projectando-a directamente nas vossas retinas, cegando-vos, não hesitem em avançar para uma solução como a que vos apresento. 


(Claro que terão de ser fortes, corajosos e estar psicologicamente preparados para aguentar a pressão dos olhos inquiridores dos vossos colegas...)