sexta-feira, 29 de maio de 2015

Só me faltava isto...



Agora quer estar sempre de mão dada...


Agora é que é

Dezoito meses de obra. 




Há quem goste de viajar, há quem goste de vinhos e de restaurantes com estrelas Michelin. Eu? Eu gosto de obras.



(e esta é daquelas que me dá um frio na barriga, daqueles frios bons, os que vêm num arrepio pela coluna acima e acabam no fim do pescoço, junto à nuca, um frio de antecipação, a imaginar a maquinaria a entrar por ali dentro a demolir, depois a escavar, e os camiões de terra a sair, em fila indiana, a contenção das terras, os nervos para que aquilo não escorregue tudo por ali abaixo, depois as fundações, a estrutura a subir por ali acima, é um instante, a pessoa até fica perplexa com a rapidez, todos os dias se vê a obra a avançar, depois sobem-se as paredes, sempre na bisga, até parece que o empreiteiro vai acabar antes do prazo, depois vêm os acabamentos, ai os malditos acabamentos, que parece que se passam semanas e nada muda, são os electricistas, os estucadores, os pintores, os do gás, os ladrilhadores, uma confusão, o desespero, mas isto nunca mais acaba?!, depois, por fim, e quando já desistimos de acreditar, o resultado. Dezoito meses de aventura! As obras têm este efeito em mim :) 

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Eu bem sei que, nos dias que correm, este é um assunto tremendamente arriscado e, até, fracturante

Mas estou tão contente...



E agora, hum? Também vão dizer que estes são feios e mais não sei quê,?! Como naquele ataque concertado -  bullying mesmo! - que aqui me fizeram aquando dos meus incríveis sapatos prateados, é?! Oh pah... desta vez vão ser obrigados a concordar que sou a feliz possuidora da mais bela sandalete da blogosfera!

E sempre quero ver quem é que tem a coragem de me contrariar... 



quarta-feira, 27 de maio de 2015

I <3 my manjerico


Palmier faz blogo-análise e apresenta a solução

Como é do conhecimento geral, desde a grave situação do sapato que, qual assassinato do Arquiduque Ferdinand da Áustria, despoletou o blogo-conflito total, temos visto de tudo, desde ameaças Kizombeiras ao nosso Arrumadinho, o nosso líder, que vigia os mares de periscópio em punho, a zombarias maléficas à nossa Cocó, levando inclusivamente a que o nosso flamboyant Salgado tenha ameaçado perder a sua lendária paciência. Ou seja, nos últimos tempos, o pobre e esforçado blogger acorda pela manhã e, em vez de envergar o outfit da estação, entra na blogosfera aterrorizado, colado a uma parede, de farda de camuflado em cima do corpo, capacete, escudo, colete anti-balas e, perscrutando todos os cantos em busca de um sniper, atravessa os blogs a correr em zig-zag, evitando assim ser atingido pelo fogo cruzado das metralhadoras que, escondidas nos headers, disparam incessantemente. Depois de meses nisto, os blogs, outrora tão belos, são hoje uma pilha de escombros fumegantes, as paredes todas escavacadas por rockets, os vidros estilhaçados pelas balas, e as crianças, que costumavam ser formosas e cor-de-rosa, apresentam-se agora ranhosas, com as caras enfarruscadas, cabelos em desalinho e enroladas em trapos andrajosos.

Ora, esta situação insustentável levou a que, a convite da Junta de Salvação da Blogosfera, eu própria, juntamente com pequena Cutxi, tenhamos acedido a leccionar o primeiro workshop de Gestão de Blogo-Conflitos, um workshop intensivo (dezanove horas por dia, durante oitenta e três semanas), a decorrer na última cozinha branca que ainda se encontra intacta no blogomundo, e que terá como objectivo fazer renascer as agradáveis memórias do passado.

Toca a despachar! Já só temos cerca de nove mil vagas! (Mas venham com cuidado, não se vá dar o caso de, pelo caminho, serem apanhados por uma bala perdida)


Deixo aqui, a título de exemplo, um slide dos incríveis e excitantes power-points que temos preparados para vocês.



terça-feira, 26 de maio de 2015

Claro que uma pessoa fica danada!

Depois de anos, anos!, a fazer de tudo para conseguir deitar mão ao veículo supra, um modelo clássico, intemporal e lendário, que passou de estação para estação, sempre na moda, eis senão quando, reparo que o meu mítico dois lugares foi substituído por um Glutton indiferenciado, um monovolume eléctrico e sem história! A sério? Isto é coisa que se faça a uma pessoa?! Não me admirava nada que, um dia destes, quando o meu Ambrósio me levar a passear à baixa, nos informem que o meu adorado veículo é impróprio e nos expulsem de lá com uma multa!



(é que nem sei mesmo o que faça... é que o meu Ambrósio não se dá nada bem com as tecnologias...)



segunda-feira, 25 de maio de 2015

Há que aproveitar a clientela!

Caros bloggers, 

Depois de vários meses a observar o blogomundo, a verificar indicadores e a analisar tendências, Palmier Encoberto, licenciada em Direito, pessoa alta, magra, deveras estilosa, com um cabelo espectacular, empreendedora e atenta às necessidades do mercado, decidiu inovar e criar um cartão de descontos:

- O Cartão Tribunal

Um cartão que lhe dará acesso a descontos exclusivos nos seus honorários como advogada, um cartão que permitirá acumular pontos por cada acção judicial, pontos que poderão ser convertidos na propositura de novas acções em qualquer Tribunal à sua escolha, seja ele cível, criminal, comércio, administrativo, fiscal, propriedade intelectual, trabalho, ou até mesmo Constitucional, consoante o mood e outfit do dia, com espectaculares campanhas diárias a decorrer em permanência nos vários tribunais, onde poderá encontrar os preços mais baixos todos os dias. Para aderir basta preencher o cupão e enviar por e-mail para palmierencoberto@gmail.

O que rende é contratar a Palmier! Conte com mais poupança! É caso para se dizer: "Eu conto com Palmier!"



* Os primeiros dez Bloggers aderentes terão direito a uma dúzia de acções judiciais pelo preço de uma! 


sábado, 23 de maio de 2015

Resumo da semana

Olhemos desta feita para o painel central d'O Juízo Final, de Bosch, onde se encontra descrita toda a sequência de acontecimentos que vivenciámos nos últimos dias. Vejamos então com atenção:


Ao centro, em cima, podemos observar Cristina, numa fotografia cuidada e profissional, o tipo de fotografia nunca antes vista num blog e que obrigou a que todas as fashion bloggers tivessem de contratar as suas próprias fotógrafas particulares, complicando, em muito, a simples logística de um "hoje deu-me para isto". Aqui vemos Cristina sobrevoando toda uma nação, epíteto da mulher de sucesso, empreendedora, um exemplo a seguir, no fundo, aquela que todas nós ambicionamos ser. Reparem nas bloggers nas laterais, que, de mãos postas, ajoelham à sua passagem, enquanto os anjos tocam os trompetes:


em baixo, no centro da trama, e como não podia deixar de ser, temos o próprio sapato de Cristina, o sapato mais desejado, aquele que todas nós sonhamos um dia vir a calçar. Um sapato com vela, imagem simbólica do sapato que fica bem em todas as ocasiões e capaz de nos salvar de todas as tormentas fashionistas:


As bloggers a chegar ao lançamento da colecção de Verão dos sapatos Cristina, nos seus veículos de alta cilindrada:


 A alegria dos bloggers já no decorrer do evento:


Reparem, a título de curiosidade, como Matisse também quis cavalgar a onda de sucesso de Cristina, ao registar para a posteridade a alegria dos bloggers no lançamento da dita colecção.


À direita,  uma faca pronta a praticar o escalpe de todas aquelas que ousarem levantar a voz contra o sapato de Cristina


E um exército pronto a atacar


e uma equipa pronta a torturar todas as que preferem outras marcas:


Aqui podemos observar uma blogger que, tendo mostrado dúvidas entre um 37 e um 38, foi de imediato citada pelas autoridades para comparecer em tribunal:


E aqui estão todos os outros bloggers. A beber para esquecer.




sexta-feira, 22 de maio de 2015

Eu queria ir dar a minha voltinha pela internet

Mas o computador recusa-se... !? 


Está sempre a dar este erro...?! Sinceramente, não percebo...


Palmier Encoberto, o Oráculo on-line

Não vos quis dizer nada logo no início do ano, para não vos assustar, mas, na verdade, olhando para o mapa astral do blogomundo, com a lua em Saturno e o Sol na casa da cabeça do dragão fumegante, posso adiantar que o ano de 2015 será um ano muito atribulado, um ano de quezílias, desavenças e de escaramuças sangrentas. Disso tivemos prova logo nos primeiros dias de Janeiro, quando eclodiu aquela que ficou conhecida como a Guerra da Garrafa Dispendiosa, situação que abalou os astros e que levou a que escorregassem do meio do céu e que ficassem todos amontoados no firmamento. Ora, essa situação gravíssima afectou a casa 7 do Zodíaco, a casa que regula o apetite, levando-nos a acorrer em massa, quais zombies mascarados de Frida Kahlo, ao take-away mais próximo, caso que ficou na história como a fuga dos Bloggers dos restaurantes trendy, para o take away do Pingo Doce, fuga, aliás, que simboliza a passagem de uma cultura idolatra, que cria em vários restaurantes, para uma crença monoteísta, ou seja, num restaurante único. Neste restaurante eram servidos apenas coq au vin ou, como se diz em português, galo ao vento, e flamingos caramelizados, situação que, ao fim de breves semanas, causou grande revolta entre os bloggers da alimentação saudável  que, incentivados por Pedro, o PT, se barricaram junto à secção das águas, consumindo todas as garrafas de Luso com gás a que deitaram mão. Garrafas que, depois de vazias, serviram para ser arremessadas entre bloggers desavindos, que filmaram os actos bárbaros com o telemóvel, publicando, posteriormente, as imagens nas suas páginas de facebook. Por fim, temos o estranho caso do Grande Cisma do Sapato, em que a blogosfera se dividiu entre aqueles que veneram o sapato de Cristina e os outros.


Minha boa gente, oiçam o vosso oráculo... se o primeiro semestre foi assim, desgastante, com a escalpelização exaustiva destes assuntos deveras dramáticos e com repercussões inimagináveis no alinhamento dos astros a nível do cosmos, nem queiram imaginar o que nos espera no segundo, com Plutão a entrar na casa 21 ... 



quinta-feira, 21 de maio de 2015

Raio do bicho...

Então não é que ressuscitou?!


Uma pessoa muito tranquila na sua casa animal-free e depois, pumba, aparece-lhe esta assombração! E, ainda por cima, agora vem-me com esta atitude... 

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Pequena Cutxi vomitou dentro de casa

Tive de a matar, como é óbvio!



A sorte dela é que foi um canícidio bastante civilizado e o tapete sobreviveu incólume. Caso contrário teria de a assassinar segunda e até quem sabe, terceira vez.



terça-feira, 19 de maio de 2015

Um clássico

Ontem, pelas 19h00, os condóminos voltaram a reunir. A convocatória designava um dos apartamentos do segundo andar, mas, à hora marcada, a dona da casa designada para a reunião, perguntava-me, debruçada sobre o corrimão da caixa das escadas, e enquanto eu subia os degraus para me dirigir a sua casa: "ainda bem que a encontro! Onde é que é afinal a reunião?". E depois de momentos altamente confusos em que inúmeros vizinhos desorientados desciam as escadas e outros subiam no elevador desencontrando-se uns dos outros numa espécie de eterno devir, lá nos reunimos no local originalmente designado. O assunto, sempre o mesmo, o drama que nos une contra o inimigo comum, leva a que nos reunamos amiúde para afinar a estratégia de luta. Acontece que o nosso exército é fracote e constituído, maioritariamente por aquilo que se pode designar por pessoas de uma certa idade, já para não referir as quezílias que existem dentro das nossas próprias filieiras... é verdade… enquanto a Tia Zeza fala, a Tia Patita põe-se atrás, a revirar os olhos, a encolher os ombros e a dizer que não com a cabeça, gestos que em conjunto querem dizer “está ché-ché, coitada…”, os exactos gestos que a Tia Zeza executa sem dó nem piedade sempre que a Tia Patita ousa abrir a boca para afirmar invariavelmente:"eu faço o que todos os outros fizerem". Afundado no cadeirão, à esquerda, está o Senhor Professor Moreira, uma simpatia de pessoa, sempre com um sorriso, aquele sorriso de quem não ouve bem, ou melhor, de quem não ouve mesmo nada, e por isso sorri sempre, bastante satisfeito. Ao centro, muito direito numa cadeira de espaldar, em pose militar, temos o senhor General, sempre preparado para empunhar armas contra o aumento das contribuições do condomínio. Isso é que não! Mas, Senhor General… o prédio precisa de ser pintado… mas o Senhor General fica rubicundo de cada vez que o assunto vem à baila, alarga o nó da gravata, parece mesmo que está a sofrer um AVC, roda o pescoço de uma forma anti-natural, caramba, aquilo não lhe pode fazer bem nenhum à coluna vertebral, fico sempre a ver quando é que a cabeça se desenrosca e rola pelo tapete de Arraiolos da tia Zeza. Para terminar, temos o momento de arrebatamento em que se diz mal da inquilina do terceiro esquerdo, que, coitada, não está boa da cabeça, ainda nos pega fogo ao edifício, sempre a fumar por todo o lado, que grande horror!, mas ninguém sente realmente pena, afinal quando foi da infiltração para o segundo andar, ela não quis saber e, por isso, foi eternamente banida das boas graças da vizinhança.


O nosso problema continua, portanto, por resolver.




segunda-feira, 18 de maio de 2015

E depois de várias semanas a treinar os exames nacionais do sexto ano

Chego à conclusão que o objectivo do Ministério da Educação não é avaliar conhecimentos, mas sim verificar quais, de entre as crianças que vão a exame, conseguem detectar as pequenas armadilhas espalhadas estrategicamente por todas as perguntas. E depois de perceber isto, fico sem perceber qual o objectivo de tão estranha estratégia. É que uma coisa é avaliar conhecimentos, outra, bem diferente, é avaliar a capacidade de fazer gincanas.



Eu gostava de saber é como é que os meninos que vivem nas imediações do Marquês de Pombal e que foram fazer exame esta manhã, terão dormido esta noite...

É que eu, em minha casa, e ainda devemos estar a falar de uns bons quilómetros, consegui ouvir o discurso do Luís Filipe Vieira. Ouvi em stereo, pela janela e pela televisão.



domingo, 17 de maio de 2015

Sinto-me obrigada, até como forma de pressão, a fazer esta denúncia

Depois de uma limpeza nas estantes dos meus filhos, sobraram estes livros. O meu consorte, muito prestável, afirmou, cheio de boa-vontade, que os entregaria num centro de acolhimento de crianças. Os livros foram então colocados na estante do corredor, onde se encontram.


Tudo isto seria muito bonito. Se não se tivesse passado em Dezembro.


sexta-feira, 15 de maio de 2015

E então...?

Já é para aparecer?


É que isto hoje, parecendo que não, está uma aragem um bocadinho fria...!